Detectando hemorragias e hematomas pós-operatórios a partir de dados administrativos: o desempenho do Indicador de Segurança do Paciente da AHRQ

UTTER, G. H. ; ZRELAK, P. A. ; BARON, R. ; TANCREDI, D. J. ; SADEGHI, B. ; GEPPERT, J. J. ; ROMANO, P. S.
Título original:
Detecting postoperative hemorrhage or hematoma from administrative data: The performance of the AHRQ Patient Safety Indicator
Resumo:

Contexto: O uso do Indicador de Segurança do Paciente (ISP) 9, "hemorragia ou hematoma pós-operatório (HHPO)", da Agency for Healthcare Research and Quality dos EUA tem sido considerado para a notificação pública da qualidade do cuidado. Procuramos avaliar seu desempenho na detecção de verdadeiras complicações.

Métodos: Realizamos um estudo transversal retrospectivo das internações que cumpriam os critérios de elegibilidade do ISP 9. Coletamos uma amostra de prontuários marcados como positivos e negativos pelo ISP 9 num conjunto variado de 31 hospitais entre fevereiro de 2006 e junho de 2009. Revisores treinados fizeram a revisão dos prontuários utilizando instrumentos-padrão. Determinamos a sensibilidade, a especificidade e os valores preditivos positivo (VPP) e negativo (VPN) do indicador.

Resultados: Dentre 181 prontuários analisáveis marcados pelo ISP 9, 168 (93%; VPP ponderado, 95%; intervalo de confiança [IC] de 95%, 90-98%) envolveram um evento codificado precisamente, mas somente 126 (70%; VPP ponderado, 78%; IC 95%, 58-90%) representaram uma verdadeira HHPO. Trinta e dois falsos positivos envolveram somente hemorragias intraoperatórias. Dentre os verdadeiros positivos, em 28% os pacientes sofreram hipotensão e em 4% ocorreu óbito atribuído à HPPO. Trinta e dois dos 281 prontuários marcados como negativos pelo ISP 9 (mas complementados com prontuários questionavelmente negativos) representaram uma verdadeira HHPO. A sensibilidade do indicador foi de 42% (IC 95%, 23-64%), a especificidade foi de 99,9% (IC 95%, 99,8-100%) e o VPN foi de 99,7% (IC 95%, 99,0-99,9%). A modificação do indicador de modo a incluir códigos de procedimentos adicionais melhorou tanto a sensibilidade (85%; IC 95%, 67-94%) como o VPP (76%; IC 95%, 60-88%).

Conclusão: O ISP é promissor na detecção de complicações graves e potencialmente evitáveis. O indicador talvez possa ser melhorado especificando-se o código 998.11 para hemorragias, de modo a excluir os eventos puramente intraoperatórios, e adicionando-se códigos de procedimentos aos critérios do numerador do indicador.

Resumo Original:

Background: Patient Safety Indicator (PSI) 9, “postoperative hemorrhage or hematoma” (PHH), of the US Agency for Healthcare Research and Quality has been considered for public quality of care reporting. We sought to evaluate its performance in detecting true complications.

Methods: We conducted a retrospective, cross-sectional study of hospitalizations that met PSI 9 eligibility criteria. We sampled records flagged positive and negative by PSI 9 from a diverse set of 31 hospitals between February 2006, and June 2009. Trained abstractors reviewed medical records using standard instruments. We determined the sensitivity, specificity, and positive (PPV) and negative (NPV) predictive values of the indicator.

Results:Of 181 analyzable records flagged by PSI 9, 168 (93%; weighted PPV, 95% [95% confidence interval (CI), 90–98%]) involved an accurately coded event, but only 126 (70%; weighted PPV, 78% [95% CI, 58–90%]) represented true PHH. Thirty-two false positives involved only intraoperative hemorrhage. Among true positives, hypotension occurred in 28% and death attributed to the PHH in 4%. Thirty-two of 281 records flagged negative by PSI 9 (but enriched with questionably negative records) represented true PHH. The indicator's sensitivity was 42% (95% CI, 23–64%), specificity 99.9% (95% CI, 99.8–100%), and NPV 99.7% (95% CI, 99.0–99.9%). Modifying the indicator to include additional procedure codes improved both sensitivity (85% [95% CI, 67–94%]) and PPV (76% [95% CI, 60–88%]).

Conclusion: PSI 9 holds promise in detecting serious, possibly preventable complications. The indicator might be improved by specification of the 998.11 hemorrhage code to exclude purely intraoperative events and addition of procedure codes to the indicator's numerator criteria.

Fonte:
; 154(5): 1117-1125; 2013. DOI: 10.1016/j.surg.2013.04.062.
DECS:
estudos transversais, hematoma, projetos piloto, avaliação de resultados, hemorragia pos-operatoria, indicadores de qualidade em assistência à saúde, estudos retrospectivos