Detecção de eventos adversos a medicamentos durante a internação

CULLERÉ, C. B. ; TORNER, M. Q. G. ; RUIZ, J. A. ; CREUS, M. T. ; MARTÍN, M. B. ; SUNYER, M. C. ; GUBERT, M. T.
Título original:
Detecting adverse drug events during the hospital stay
Resumo:

Introdução: O objetivo principal foi determinar a taxa de incidência de eventos adversos a medicamentos (EAMs) em pacientes hospitalizados e avaliar a porcentagem de prevenção de tais eventos.

Métodos: Estudo observacional, multicêntrico, prospectivo, com duração de 4 meses, realizado em cinco hospitais que prestam diferentes níveis de cuidado. Foram incluídos todos os pacientes adultos admitidos por mais de 48 horas em um dos centros selecionados e que necessitaram de tratamento farmacológico. Os EAMs foram identificados através de observação direta e do uso de sinais de alarme previamente definidos. A escala Karch-Lasagna foi utilizada para determinar a relação de causalidade e o questionário Schumock e Thornton, adaptado por Otero, foi utilizado para avaliar a evitabilidade do EAM. Eventos adversos evitáveis induzidos por medicamentos foram classificados de acordo com a taxonomia que o grupo Ruiz-Jarabo 2000 definiu, coordenada pelo ISMP-Spain.

Resultados: Foram incluídos 1550 pacientes, dentre os quais 159 sofreram ao menos um EAM (10,3%). A porcentagem de evitabilidade foi de 51,6%, valor que representava 5,3% da amostra total. Os sistemas endócrino (34,8%) e cardiovascular (20,7%) foram os mais afetados por eventos adversos a medicamentos. Os antibióticos foram responsáveis por 16,5% de todos os EAMs. Nove ponto três por cento de todos os EAMs evitáveis foram provocados pelo uso de opiáceos. A grande maioria dos EAMs evitáveis (36,3%) resultou da omissão de um medicamento necessário. Apenas 4,4% dos EAMs evitáveis foram considerados graves.

Palavras-Chave: Evento adverso a medicamento; Erro de medicação; Segurança do paciente hospitalizado; Sinais de alarme; Prevenção de erro de medicação.

Resumo Original:

Introduction: The principal objective was to determine the incidence rate of adverse drug events (ADEs) in hospitalised patients and evaluate the event prevention percentage.

Methods: Multi-centre, prospective observational study lasting 4 months, performed in 5 hospitals providing different levels of care. We included all adult patients who were admitted to one of the selected centres for longer than 48 hours and who required pharmacological treatment. ADEs were identified by direct observation and the use of previously defined alarm signals. The Karch-Lasagna scale was used to determine the causality relationship, and the Schumock and Thornton questionnaire adapted by Otero was used to evaluate ADE preventability.Preventable drug-induced adverse events were classified according to the taxonomy that the Ruiz-Jarabo 2000 group defined, and coordinated by ISMP-Spain.

Results: We included 1550 patients, 159 of whom experienced at least one ADE (10.3%). The preventability percentage was 51.6%, which represented 5.3% of the total sample. The endocrine system (34.8%) and the cardiovascular system (20.7%) were the most affected by preventable ADEs. Antibiotics were responsible for 16.5% of all ADEs. Nine point three percent of all preventable ADEs were triggered by use of opiates. The vast majority of preventable ADEs (36.3%) resulted from omitting a necessary medication. Only 4.4% of preventable ADEs are considered to be serious.

Palavra-chave: Evento adverso a medicamento; Erro de medicação; Segurança do paciente hospitalizado; Sinais de alarme; Prevenção de erro de medicação

Fonte:
Farm Hosp ; 33(6): 312-323; 2009.
DECS:
sistemas de notificação de reações adversas a medicamentos, algorítmos, causalidade, alarmes clínicos, efeitos colaterais e reações adversas relacionados a medicamentos, preparações farmacêuticas, estudos prospectivos