Desenho de um painel de segurança para os pacientes

BryanGibson ; JorieButler ; KumikoSchnock ; DavidBates ; DavidClassen
Título original:
Design of a safety dashboard for patients
Resumo:

CONTEXTO: Quase um terço dos pacientes internados sofre com erros no cuidado de saúde em hospitais dos EUA a cada ano. OBJETIVO: O nosso objetivo foi elaborar um aplicativo voltado para o paciente, com a finalidade de envolver os pacientes e seus cuidadores na revisão e resposta a problemas clínicos que possam ter implicações para a segurança. ENVOLVIMENTO DE PACIENTES: Conduzimos sessões centradas nos usuários com pessoas recentemente internadas e/ou seus cuidadores informais. MÉTODOS: Conduzimos cinco sessões centradas no usuário, com um total de 37 pessoas. As sessões começaram com o compartilhamento de histórias pessoais de internações recentes e possíveis eventos de segurança vivenciados. Em seguida, pedimos feedback sobre a versão atual do painel de segurança. O design do painel foi atualizado entre as sessões. RESULTADOS: O design do nosso painel se baseia em três conclusões principais. Em primeiro lugar, o envolvimento dos pacientes na promoção da segurança é uma novidade para a maioria dos pacientes e seus cuidadores, por isso, a forma como a finalidade da ferramenta é apresentada e o seu uso apropriado são fundamentais para interessar os usuários e gerenciar as expectativas. Tudo isto foi cuidadosamente preparado com a contribuição dos pacientes. Em segundo lugar, como a maioria dos pacientes não associa problemas específicos de segurança a ações corretivas ou de prevenção apropriadas, o elemento central do aplicativo é uma tabela que conecta os problemas de segurança com “Perguntas que você deve fazer” e “Coisas que você pode fazer”. Em terceiro lugar, os pacientes precisam de explicações compreensíveis sobre termos e conceitos médicos, bem como sobre mudanças nos níveis de risco. A ferramenta inclui “traduções” para uma linguagem simples de todos os termos médicos usados, links para materiais de educação do paciente e gráficos simplificados para visualizar mudanças nos níveis de risco. DISCUSSÃO: Os nossos resultados podem ser generalizados a outros esforços para envolver os pacientes em seu cuidado. IMPORTÂNCIA PRÁTICA: O design para o envolvimento dos pacientes requer a sua perspectiva tanto sobre o seu papel atual quanto sobre o seu papel ideal; a gestão das expectativas, o design orientado para a ação e a clareza das informações apresentadas podem ajudar a lidar com essa lacuna no envolvimento dos pacientes.
 

Resumo Original:

BACKGROUND: Nearly one third of hospitalized patients suffer harm from medical errors in U.S. hospitals each year. OBJECTIVE: Our goal was to design a patient-facing application that is intended to engage patients and their caregivers in reviewing and responding to clinical issues that may have safety implications. PATIENT INVOLVEMENT: We conducted user-centered design sessions with recently hospitalized individuals and /or informal caregivers. METHODS: We conducted five user-centered design sessions with total of 37 individuals. Sessions began with individuals sharing personal stories of recent hospitalizations and any experienced safety events. We then solicited feedback on the current iteration of the patient-facing safety application. The design of the app was updated between sessions. RESULTS: The design of our app centers around three key findings. First, involving patients in safety promotion is novel to most patients and their caregivers: therefore the framing of the tool's purpose and appropriate use is critical to engage potential users and manage expectations, this messaging was carefully crafted with patient input. Second, since most patients do not associate specific safety issues with appropriate remedial or preventative actions, the centerpiece of the application is a table that connects safety issues with related "Questions you should ask" and "Things you can do". Third, patients need understandable explanations of medical terms and concepts as well as explanation of changes in risk; the tool includes plain language "translations" of all medical terms used, links to curated patient education materials, and simplified graphics to visualize changes in risk. DISCUSSION: Our findings may generalize to other efforts to engage patients in their care. PRACTICE VALUE: Designing for patient engagement requires patients' perspective both on their current role and their ideal role; framing for expectations, action-oriented design, and clarity of presented information may address that gap in patient engagement.

Fonte: