A cultura de segurança do paciente: uma revisão sistemática baseada nas dimensões da Pesquisa Hospitalar sobre Cultura de Segurança do Paciente

REIS, C. T. ; PAIVA, S. G. ; SOUSA, P.
Título original:
The patient safety culture: a systematic review by characteristics of Hospital Survey on Patient Safety Culture dimensions
Resumo:

Objetivo: Conhecer as deficiências e os pontos fortes da cultura de segurança, expressos segundo as dimensões medidas pelo Inquérito Hospitalar sobre Cultura de Segurança do Paciente (Hospital Survey on Patient Safety Culture, HSOPSC) em hospitais de diferentes contextos culturais.O objetivo desta revisão foi identificar estudos que tenham utilizado o HSOPSC para coletar dados sobre a cultura de segurança em hospitais, examinar os seus resultados nas dimensões da cultura de segurança e as possíveis contribuições para melhorar a qualidade e a segurança do cuidado hospitalar.

Fontes de dados: Fizemos pesquisas nas bases de dados Medline (via PubMed), Web of Science e Scopus em busca de artigos em inglês, português e espanhol de 2005 a julho de 2016.

Seleção de estudos: Identificamos os estudos usando termos de pesquisa específicos e critérios de inclusão. Incluímos um total de 33 artigos de 21 países.

Extração de dados: Extraímos os escores das dimensões da cultura de segurança do paciente avaliadas pelo HSOPSC. A qualidade dos estudos foi avaliada com base na Declaração STROBE.

Resultados: As dimensões que se mostraram mais fortes foram “Trabalho em equipe dentro de unidades” e “Aprendizado organizacional – melhoria contínua”. As dimensões particularmente fracas foram “Resposta não punitiva aos erros”, “Contingentes de pessoal”, “Transferências e transições do cuidado” e “Trabalho em equipe entre diferentes unidades”.

Conclusão: Os estudos revelaram uma predominância de culturas organizacionais subdesenvolvidas ou fracas em relação à segurança do paciente. Para ser efetiva, a avaliação da cultura de segurança deve estar vinculada a estratégias destinadas a desenvolver a cultura de segurança em todo o hospital.

Resumo Original:

Purpose: To learn the weaknesses and strengths of safety culture as expressed by the dimensions measured by the Hospital Survey on Patient Safety Culture (HSOPSC) at hospitals in the various cultural contexts. The aim of this study was to identify studies that have used the HSOPSC to collect data on safety culture at hospitals; to survey their findings in the safety culture dimensions and possible contributions to improving the quality and safety of hospital care.

Data sources: Medline (via PubMed), Web of Science and Scopus were searched from 2005 to July 2016 in English, Portuguese and Spanish.

Study selection: Studies were identified using specific search terms and inclusion criteria. A total of 33 articles, reporting on 21 countries, was included.

Data extraction: Scores were extracted by patient safety culture dimensions assessed by the HSOPSC. The quality of the studies was evaluated by the STROBE Statement.

Results: The dimensions that proved strongest were 'Teamwork within units' and 'Organisational learning-continuous improvement'. Particularly weak dimensions were 'Non-punitive response to error', 'Staffing', 'Handoffs and transitions' and 'Teamwork across units'.

Conclusion: The studies revealed a predominance of hospital organisational cultures that were underdeveloped or weak as regards patient safety. For them to be effective, safety culture evaluation should be tied to strategies designed to develop safety culture hospital-wide.

Fonte:
Int J Qual Health Care ; 2018. DOI: 10.1093/intqhc/mzy080.
Nota Geral:

Online First