Comunicação de sinais vitais por enfermeiros durante as transições de cuidado do serviço de emergência para as enfermarias: uma revisão integrativa

Cross, R ; Considine, J ; Currey, J.
Título original:
Nursing handover of vital signs at the transition of care from the emergency department to the inpatient ward: An integrative review
Resumo:

Objetivo: Analisar a comunicação dos sinais vitais por enfermeiros durante as transições do cuidado do serviço de emergência para as enfermarias. Contexto: As falhas na comunicação são uma das principais causas de danos a pacientes, o que faz da comunicação durante a passagem de casos clínicos uma prioridade para os sistemas de saúde em todo o mundo. As transições do serviço de emergência para as enfermarias dependem da passagem de casos clínicos por enfermeiros. Anormalidades nos sinais vitais no serviço de emergência estão associadas à deterioração clínica após a internação hospitalar. A compreensão do papel e das percepções sobre a importância dos sinais vitais nas transferências clínicas é importante para a segurança do paciente. Métodos: Utilizamos um desenho integrativo. Realizamos uma busca nas bases de dados eletrônicas MEDLINE, CINAHL, EMBASE, Cochrane, Web of Science e SCOPUS. Os artigos encontrados foram examinados para identificar outros estudos que pudessem ser incluídos na revisão. Realizamos um processo aprofundado de revisão por pares. Incluímos estudos que descrevessem questões relacionadas com a passagem de casos, sinais vitais, serviços de emergência, transições de cuidado e enfermarias. Resultados: Cinco estudos foram incluídos na revisão final: um relacionado especificamente a enfermeiros e quatro relacionados à medicina de emergência. Os sinais vitais foram considerados importantes nas transferências clínicas, e a sua comunicação nas passagens de casos foi percebida como um indicador da segurança do paciente e como um fator de risco para a deterioração clínica futura. O ambiente do serviço de emergência influenciou a comunicação efetiva durante a passagem de casos. Conclusões: Os sinais vitais foram considerados um elemento importante a ser incluído nas passagens de caso. Deficiências na comunicação dos sinais vitais foram consideradas como um fator de risco para eventos adversos após a internação hospitalar. A qualidade da comunicação dos sinais vitais nas passagens de caso pode ser importante para garantir a precisão das decisões tomadas. Relevância para a prática clínica: Os sinais vitais são um componente importante das passagens de caso e são vistos como indicadores da segurança do paciente e como fatores de risco para eventos adversos futuros.

Resumo Original:

Aim: To examine nursing handover of vital signs during patient care transition from the emergency department (ED) to inpatient wards. Background: Communication failures are a leading cause of patient harm making communication through clinical handover an international healthcare priority. The transition of care from ED to ward settings is informed by nursing handover. Vital sign abnormalities in the ED are associated with clinical deterioration following hospital admission. Understanding the role and perceived value of vital sign content in clinical handover is important for patient safety. Methods: An integrative design was used. A search of electronic databases was undertaken using MEDLINE, CINAHL, EMBASE, Cochrane, Web of Science and SCOPUS. Identified records were screened to elicit further studies for inclusion. A comprehensive peer-review screening process was performed. Studies were included that described the surrounding issues of handover, vital signs, ED, transition of care and ward. Results: Five studies were included in the final review, one specific to nursing and four specific to emergency medicine. Vital signs were perceived to be an important inclusion in clinical handover, and the communication of vital signs in handover was perceived to be indicators for patient safety and risk factors for future clinical deterioration. The ED environment had an influence on effective communication within handover. Conclusions: Vital signs were an important inclusion for clinical handover. Deficiencies in vital sign content were perceived to be risk factors for patient adverse events following hospital admission. The quality of vital sign information in clinical handover may be important for accurate decision-making. Relevance to clinical practice: Vital signs are an important component of clinical handover and are perceived to be indicators for patient safety and risk of future adverse events.

Fonte:
J Clin Nurs ; 1-12; 2018. DOI: 10.1111/jocn.14679..