Avaliação dos conhecimentos e percepções de médicos residentes brasileiros sobre a medicina transfusional

Vaena MMV ; Alves LA
Título original:
Assessment of the knowledge and perceptions of Brazilian medical residents on transfusion medicine.
Resumo:

CONTEXTO:
A educação médica tem um grande impacto social, pois acaba por influenciar a qualidade e a segurança dos serviços de saúde oferecidos à população. Vários estudos estabeleceram a relação entre os conhecimentos de médicos sobre a medicina transfusional e o uso adequado dessa terapia. O uso racional de sangue tornou-se uma preocupação em todo o mundo. Neste contexto, o objetivo deste estudo foi avaliar os conhecimentos de médicos residentes sobre a medicina transfusional em hospitais localizados no Rio de Janeiro, Brasil, e a sua educação durante a formação médica.
MÉTODOS:
Participaram do estudo 106 residentes de oito especialidades médicas, em quatro hospitais. Aplicamos um questionário desenvolvido pelo grupo Biomedical Excellence for Safer Transfusion (BEST) para avaliar os conhecimentos médicos dos participantes. Um outro questionário foi aplicado para avaliar o perfil dos participantes no que diz respeito à frequência com que prescreviam a transfusão, à forma como classificam o seu próprio nível de conhecimento e a relevância do assunto.
RESULTADOS:
O número médio de respostas corretas ao questionário que avaliou os conhecimentos sobre as práticas transfusionais foi de 43,5% (intervalo: 15-80%). Observou-se uma relação entre a educação durante a residência médica e os resultados obtidos (p=0,0007). A maioria dos residentes (73%) não recebeu educação em medicina transfusional durante a graduação ou a residência, e 93% gostariam de receber formação adicional.
CONCLUSÃO:
Verificou-se um déficit claro nos conhecimentos sobre medicina transfusional, indicando a necessidade de mudanças no ensino dessa especialidade. Estes resultados são semelhantes aos observados em alguns países desenvolvidos.
PALAVRAS-CHAVE:
educação; conhecimento; médico; medicina transfusional
 

Resumo Original:

BACKGROUND:
Medical education has a major social impact because it ultimately influences the quality and safety of the health service offered to the population. Several studies have acknowledged the relationship between medical knowledge on transfusion medicine and the proper use of this therapy. The rational use of blood has become a worldwide concern. In this context, the aim of the present study was to evaluate medical residents' knowledge on transfusion medicine in hospitals located in Rio de Janeiro, Brazil, and their training during their medical education.
METHODS:
One hundred and six residents from eight medical specialties of four hospitals participated. A questionnaire developed by the Biomedical Excellence for Safer Transfusion (BEST) group was applied to evaluate the participants' medical knowledge. Another questionnaire was also applied to evaluate participant profiles regarding frequency of transfusion prescriptions, self-perceived knowledge and relevance of the subject.
RESULTS:
The mean number of correct answers to the questionnaire on knowledge about transfusion practices was 43.5% (range: 15-80%). A relationship between training during medical residency and the obtained result was observed (p-value = 0.0007). Most residents (73%) did not receive training in transfusion medicine during their graduation or residency and 93% would like to receive additional training.
CONCLUSION:
A clear deficit in the knowledge of transfusion medicine was verified, indicating the need for change in the teaching of this specialty. This result is similar to some developed countries.
KEYWORDS:
Education; Knowledge; Medical; Transfusion medicine

Fonte:
; 41(1): 37-43; 2019. DOI: doi.org/10.1016/j.htct.2018.06.002.
Autor institucional: 
Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.