Avaliação de risco e prevenção da úlcera por pressão: efetividade comparativa

CHOU, R. ; DANA, T. ; BOUGATSOS, C. ; BLAZINA, I. ; STARMER, A. ; REITEL, K. ; BUCKLEY, D.
Título original:
Pressure Ulcer Risk Assessment and Prevention: Comparative Effectiveness
Resumo:

Objetivos: Apesar das úlceras por pressão ocorrerem com frequência e terem um importante impacto sobre a saúde; elas são potencialmente evitáveis. Este relatório faz uma revisão sistemática das evidências sobre (1) escalas de avaliação de risco para identificar pessoas sob maior risco de desenvolver úlceras por pressão e (2) intervenções preventivas para reduzir a incidência ou a gravidade das úlceras por pressão. A Agency for Healthcare Research and Quality também encomendou um relatório separado sobre a efetividade das intervenções destinadas a tratar as úlceras por pressão.

Fontes de dados: Identificamos artigos a partir de buscas nos bancos de dados MEDLINE® (de 1946 a julho de 2012), CINAHL (de 1988 a julho de 2012), Cochrane Central Register of Controlled Trials and Database of Systematic Reviews (até julho de 2012), registros de ensaios clínicos e listas de referências.

Métodos de revisão: Utilizamos critérios predefinidos para determinar a elegibilidade dos estudos. Selecionamos estudos randomizados e estudos de coorte que examinaram os efeitos do uso de ferramentas de avaliação de risco e de intervenções preventivas sobre os resultados clínicos. Também selecionamos estudos prospectivos sobre a precisão diagnóstica de ferramentas de avaliação de risco para prever a incidência das úlceras por pressão. Avaliamos a qualidade dos estudos incluídos, extraímos os dados e resumimos os resultados.

Resultados: Dentre as 4733 citações identificadas com base no título e no resumo, rastreamos e revimos 747 artigos completos. Ao todo, foram incluídos 120 estudos (em 122 publicações). Um estudo de boa qualidade e dois estudos de má qualidade avaliaram os efeitos do uso de uma ferramenta de avaliação de risco sobre os resultados clínicos; o estudo randomizado de boa qualidade não demonstrou diferenças entre o uso da escala de Waterlow ou da ferramenta de Ramstadius em comparação com o julgamento clínico no que diz respeito ao risco subsequente de desenvolvimento de úlceras por pressão. Os estudos sobre a precisão diagnóstica revelaram que os instrumentos de avaliação de risco utilizados habitualmente (como as escalas de Braden, Norton e Waterlow) ajudam a identificar os pacientes que se encontram sob maior risco de desenvolver úlceras; porém, parecem ser preditores relativamente fracos, sem diferença clara entre os instrumentos no que diz respeito à precisão diagnóstica. Estudos randomizados de qualidade razoável revelaram consistentemente que superfícies estáticas avançadas de redistribuição de pressão estão associadas a um menor risco de úlceras por pressão quando comparadas a colchões tradicionais em pacientes de risco mais elevado (faixa de risco relativo, 0,20 a 0,60), sem diferenças claras entre as distintas superfícies avançadas . As evidências sobre a efetividade e a efetividade comparativa de outras superfícies de redistribuição de pressão, dentre elas as superfícies dinâmicas avançadas de, foram limitadas; alguns estudos não demonstraram diferenças claras entre as superfícies estáticas e dinâmicas. Um estudo de qualidade razoável revelou que o cuidado escalonado com superfícies dinâmicas de redistribuição de pressão está associado a um risco consideravelmente mais baixo de úlceras em comparação com o cuidado escalonado iniciado com superfícies estáticas. Em populações de pacientes cirúrgicos de risco mais baixo, dois estudos demonstraram que o uso de uma camada de espuma está associado a um maior risco de úlceras por pressão quando comparado aos colchões tradicionais de centro cirúrgico. As evidências sobre a efetividade de outras intervenções preventivas (suplementos nutricionais, reposicionamento, apoios e curativos, loções, cremes e produtos higiênicos, injeções de corticotropina, terapia com luz polarizada e terapia de aquecimento intraoperatório para pacientes submetidos a cirurgias) em comparação com o cuidado tradicional foram esparsas e insuficientes para permitir conclusões confiáveis.

Conclusões: Embora os instrumentos de avaliação de risco consigam identificar os pacientes sob maior risco de desenvolver úlceras por pressão, são necessários novos estudos para compreender de que maneira o uso desses instrumentos afeta a incidência das úlceras por pressão em comparação com o julgamento clínico. As superfícies mais avançadas de apoio estático são mais eficazes que os colchões tradicionais na prevenção de úlceras em populações de alto risco. São necessários novos estudos para compreender a efetividade de outras intervenções em comparação com o cuidado tradicional e a efetividade comparativa das intervenções preventivas.

Resumo Original:

Objectives: While pressure ulcers commonly occur and are associated with significant health burdens, they are potentially preventable. This report systematically reviews the evidence on (1) risk-assessment scales for identifying people at higher risk of pressure ulcers and (2) preventive interventions to decrease incidence or severity of pressure ulcers. The Agency for Healthcare Research and Quality also commissioned a separate report on effectiveness of interventions to treat pressure ulcers.

Data Sources: Articles were identified from searches of MEDLINE® (1946 to July 2012), CINAHL (1988 to July 2012), the Cochrane Central Register of Controlled Trials and Database of Systematic Reviews (through July 2012), clinical trials registries, and reference lists. Review methods. We used predefined criteria to determine study eligibility. We selected randomized trials and cohort studies on the effects of use of risk-assessment tools and preventive interventions on clinical outcomes. We also selected prospective studies on the diagnostic accuracy of risk-assessment tools for predicting incidence of pressure ulcers. The quality of included studies was assessed, data were extracted, and results were summarized.

Results: Of the 4,733 citations identified at the title and abstract level, we screened and reviewed 747 full-text articles. A total of 120 studies (in 122 publications) were included. One good- and two poor-quality studies evaluated effects of using a risk-assessment tool on clinical outcomes, with the good-quality randomized trial showing no difference between use of the Waterlow scale or the Ramstadius tool compared with clinical judgment in subsequent risk of pressure ulcers. Studies of diagnostic accuracy found that commonly used risk-assessment instruments (such as the Braden, Norton, and Waterlow scales) can help identify patients at increased risk for ulcers, but appear to be relatively weak predictors, with no clear difference among instruments in diagnostic accuracy. Fair-quality randomized trials consistently found that more advanced static support surfaces were associated with lower risk of pressure ulcers compared with standard mattresses in higher risk patients (relative risk range, 0.20 to 0.60), with no clear differences among different advanced static support surfaces. Evidence on the effectiveness and comparative effectiveness of other support surfaces, including more advanced dynamic support surfaces, was limited, with some trials showing no clear differences between dynamic and static support surfaces. One fair-quality trial found that stepped care with dynamic support surfaces was associated with substantially decreased risk of ulcers compared with stepped care beginning with static support surfaces. In lower risk populations of patients undergoing surgery, two trials found use of a foam overlay associated with an increased risk of pressure ulcers compared with a standard operating room mattress. Evidence on effectiveness of other preventive interventions (nutritional supplementation; repositioning; pads and dressings; lotions, creams, and cleansers; corticotropin injections; polarized light therapy; and intraoperative warming therapy for patients undergoing surgery) compared with standard care was sparse and insufficient to reach reliable conclusions.

Conclusions: Although risk-assessment instruments can identify patients at higher risk for pressure ulcers, more research is needed to understand how the use of risk-assessment instruments impacts pressure ulcer incidence compared with clinical judgment. More advanced static support surfaces are more effective than standard mattresses for preventing ulcers in higher risk populations. More research is needed to understand the effectiveness of other preventive interventions over usual care and the comparative effectiveness of preventive interventions.

Fonte:
AHRQ ; 19; 2013.
DECS:
Avaliação de Risco, Úlcera por Pressão/sangue, Pesquisa de Efetividade Comparativa, /prevenção & controle
Nota Geral:

Comparative Effectiveness Reviews; 87(Report No.: 12(13)-EHC148-EF)