Avaliação de estimativas de segurança do paciente derivadas de dados administrativos

NAIRAIN, W.
Título original:
Assessing Estimates of Patient Safety Derived From Coded Data
Resumo:

A Agency for Healthcare Research and Quality (AHRQ) desenvolveu Indicadores de Segurança do Paciente (ISPs) com o objetivo de detectar e prevenir eventos adversos usando dados administrativos. O uso de ISPs para medir a segurança e a qualidade do cuidado gera uma série de questões, pois é muito dependente de dados codificados. O objetivo deste artigo é fazer uma revisão da literatura sobre os ISPs da AHRQ, especificamente a sua precisão na detecção de eventos adversos, e avaliar de que forma as recentes mudanças na codificação afetam a precisão dessas estimativas. A Amostra Nacional de Pacientes Internados (National Inpatient Sample, NIS) do Projeto de Utilização do Cuidado de Saúde (Healthcare Utilization Project, HCUP) contém dados sobre mais de sete milhões de internações hospitalares por ano. A avaliação das tendências dessas estimativas ao longo do tempo indica que houve uma redução nas taxas da maioria dos ISPs; em particular, as taxas de Punção ou Laceração Acidental, Infecção de Corrente Sanguínea Associada a Cateter Central, Pneumotórax Iatrogênico e Morte por Complicações diminuíram significativamente todos os anos entre 2008 e 2012. As taxas de Traumatismo ao Nascer, Corpo Estranho Retido no Corpo, Sepse Pós-Operatória e Insuficiência Respiratória Pós-Operatória não melhoraram entre 2008 e 2012. Uma revisão da literatura sobre a precisão dos ISPs e o efeito do indicador Presente no Momento da Internação sobre as estimativas dos ISPs revela resultados mistos. Os ISPs servem como uma ferramenta útil para identificar áreas problemáticas na qualidade do cuidado, mas devem ser usados com cautela na determinação do desempenho hospitalar.

Resumo Original:

The Agency for Healthcare Research and Quality (AHRQ) developed Patient Safety Indicators (PSI) with the goal of detecting and preventing adverse events using administrative data. Use of PSIs to measure safety and quality of care raises questions since they rely heavily on coded data. The goal of this paper is to review literature on AHRQ PSIs, specifically their accuracy in detecting adverse events, and how recent coding changes affect the accuracy of these estimates. The Healthcare Utilization Project (HCUP) National Inpatient Sample (NIS) contains data on more than seven million hospital stays yearly. Trending these estimates over time indicate there has been a decrease in rates for the majority of PSIs, with Accidental Puncture or Laceration, Central Venous Catheter Blood Stream Infections, Iatrogenic Pneumothorax, and Deaths from complications decreasing significantly each year from 2008-2012. Birth Trauma, Retained Foreign Bodies, Post-op Sepsis and Post-Op Respiratory Failure PSIs show no improvement from 2008-2012. A literature review on accuracy of PSIs and the affect of the Present on Admission (POA) indicator on PSI estimates reveals mixed results. PSIs serve as a useful tool in identifying problem areas in quality of care but should be used cautiously in determining hospital performance.

Fonte:
J Healthc Qual ; 39(4): 230-242; 2017. DOI: 10.1097/JHQ.0000000000000088.