Avaliação da qualidade do cuidado prestado a pessoas com multimorbidade

J. M. Valderas ; J. Gangannagaripalli ; E. Nolte ; C. M. Boyd ; M. Roland ; A. Sarria‐Santamera ; E. Jones
Título original:
Quality of care assessment for people with multimorbidity
Resumo:

A multimorbidade — a presença simultânea de múltiplas doenças em uma pessoa — é um fenômeno cada vez mais comum em todo o mundo. A avaliação sistemática da qualidade do cuidado prestado às pessoas com multimorbidade será essencial para fundamentar a organização dos serviços a fim de atender às suas complexas necessidades. No entanto, as avaliações atuais tendem a se concentrar em doenças únicas e não captam os processos complexos que são necessários para cuidar de pessoas com multimorbidade. Realizamos uma revisão de escopo (scoping review) sobre a qualidade do cuidado e a multimorbidade em bases de dados selecionadas em junho de 2018 e identificamos 87 documentos elegíveis para a revisão, que envolviam principalmente revisões e estudos originais realizados na América do Norte, Europa e Australásia e estavam relacionados frequentemente a ambientes de atenção primária. Sintetizamos os dados qualitativamente com base nos desafios percebidos, nas evidências e nos indicadores propostos. Os resultados revelam que a associação entre a qualidade do cuidado e a multimorbidade é complexa e depende das doenças envolvidas (a qualidade parece ser maior em pacientes com doenças concordantes e menor na presença de doenças discordantes) e da abordagem usada para medir a qualidade (a qualidade parece ser maior em pessoas com multimorbidade quando medida usando indicadores específicos para a doença/medicamento ou para indicadores de desfecho intermediários, e menor quando são usados relatos da experiência com o cuidado de saúde centrados no paciente). Pessoas com multimorbidade discordante podem ser prejudicadas pelas abordagens atuais de avaliação da qualidade, particularmente quando estas estão ligadas a incentivos financeiros. Para desenvolver referenciais conceituais apropriados para a avaliação da qualidade, é necessária uma compreensão mais aprofundada dos modelos de cuidado que melhor atendem às necessidades deste grupo. Para o estabelecimento de sistemas de saúde de alto desempenho que atendam às necessidades de pessoas com multimorbidade, será fundamental considerar as preferências e os valores dos pacientes e incorporar as suas perspectivas através de relatos das suas experiências com o cuidado de saúde e os seus resultados.
 

Resumo Original:

Multimorbidity, the simultaneous presence of multiple health conditions in an individual, is an increasingly common phenomenon globally. The systematic assessment of the quality of care delivered to people with multimorbidity will be key to informing the organization of services for meeting their complex needs. Yet, current assessments tend to focus on single conditions and do not capture the complex processes that are required for providing care for people with multimorbidity. We conducted a scoping review on quality of care and multimorbidity in selected databases in June 2018 and identified 87 documents as eligible for review, predominantly original research and reviews from North America, Europe and Australasia and mostly frequently related to primary care settings. We synthesized data qualitatively in terms of perceived challenges, evidence and proposed metrics. Findings reveal that the association between quality of care and multimorbidity is complex and depends on the conditions involved (quality appears to be higher for those with concordant conditions, and lower in the presence of discordant conditions) and the approach used for measuring quality (quality appears to be higher in people with multimorbidity when measured using condition/drug-specific process or intermediate outcome indicators, and worse when using patient-centred reports of experiences of care). People with discordant multimorbidity may be disadvantaged by current approaches to quality assessment, particularly when they are linked to financial incentives. A better understanding of models of care that best meet the needs of this group is needed for developing appropriate quality assessment frameworks. Capturing patient preferences and values and incorporate patients' voices in the form of patient-reported experiences and outcomes of care will be critical towards the achievement of high-performing health systems that are responsive to the needs of people with multimorbidity.
 

Fonte: