Associação entre cultura de segurança do paciente e esgotamento profissional em hospitais pediátricos

de Lima Garcia C ; Bezerra IMP ; Ramos JLS ; do Valle JETMR ; Bezerra de Oliveira ML ; Abreu LC
Título original:
Association between culture of patient safety and burnout in pediatric hospitals
Resumo:

Introdução
A cultura de segurança é a primeira e, sem dúvida, a mais importante característica que o cuidado de saúde deve ter, pois é a base para outras. Existem associações entre síndrome do esgotamento profissional, percepções mais baixas sobre a cultura de segurança e maiores riscos para a segurança do paciente.
Objetivo
Analisar a relação entre a cultura de segurança do paciente e o esgotamento profissional em hospitais pediátricos.
Métodos
Este foi um estudo transversal com uma abordagem quantitativa realizado com profissionais da saúde que trabalham em hospitais pediátricos localizados na região metropolitana de Cariri, no Nordeste do Brasil. O estudo incluiu 148 profissionais que prestaram cuidados de saúde diretos a crianças em três hospitais diferentes. Para avaliar a cultura de segurança do paciente, aplicamos a versão traduzida e validada para o Brasil do Inquérito sobre Cultura de Segurança do Paciente (HSOPSC), e, para avaliar a ocorrência de esgotamento profissional, escolhemos o Maslach Burnout Inventory (MBI).
Resultados
Entre as dimensões do esgotamento profissional que apresentaram escore moderado a alto, destacam-se a despersonalização e a baixa realização profissional. Ao considerar a síndrome com os profissionais que apresentavam uma pontuação “alta” em apenas uma das três dimensões, foi identificado que 44,6% apresentavam a doença. Todas as dimensões de segurança do paciente estudadas se correlacionaram com alguma dimensão do esgotamento profissional.
Conclusão
O estudo evidenciou a influência de todos os domínios da segurança do paciente para o desenvolvimento da síndrome de esgotamento profissional em profissionais pediátricos. Além disso, identificamos que o clima organizacional é o principal determinante do esgotamento profissional, especialmente no que diz respeito ao “trabalho em equipe entre unidades”.
 

Resumo Original:

Introduction
Providing safety culture is the first and undoubtedly most important feature that patient care should have, as it is the basis for other measures. There are associations between Burnout Syndrome and lower perceptions of safety culture and greater risks in patient safety.
Objective
To analyze the relationship between patient safety culture and burnout in pediatric
hospitals.
Method
This is a cross-sectional study with a quantitative approach performed with health professionals who work in pediatric hospitals located in the Metropolitan Region of Cariri, Northeastern Brazil. The study enrolled 148 professionals who performed direct health care for the child in three different hospitals. For the evaluation of the Patient Safety Culture, the version, translated and validated for Brazil, of the Survey on Patient Safety Culture (HSOPSC)
questionnaire was applied and to evaluate the occurrence of Burnout, we chose the Maslach Burnout Inventory (MBI).
Results
Among the dimensions of burnout that presented the most moderate to high, depersonalization and low professional achievement stand out. When considering the syndrome with the professional who presented a "high" score in only one of the three dimensions, it was identified that 44.6% presented the disease. All patient safety dimensions studied correlated with some dimension of burnout.
Conclusion
The study evidenced the influence of all patient safety domains for the development of burnout syndrome in pediatric professionals. Also, it was identified that the organizational climate is the main determinant of burnout, especially in what refers to "teamwork between units".
 

Fonte:
; 14(6): 2020. DOI: 10.1371/journal.pone.0218756.