Associação do bem-estar e do esgotamento de médicos da atenção primária com a segurança do paciente no Reino Unido: um estudo transversal

Hall LH ; Johnson J ; Watt I ; O'Connor DB
Título original:
Association of GP wellbeing and burnout with patient safety in UK primary care: a cross-sectional survey
Resumo:

CONTEXTO: Os médicos da atenção primária apresentam níveis particularmente altos de esgotamento profissional e baixos níveis de bem-estar. Embora ambos os fatores estejam associados a resultados de segurança desfavoráveis na atenção secundária, não há estudos quantitativos que investiguem tais efeitos na atenção primária. Além disso, sabe-se pouco sobre como as demandas ocupacionais, o esgotamento e o bem-estar influenciam a segurança do paciente. OBJETIVO: Investigar se as variáveis ocupacionais (demandas e apoio) estão associadas a resultados de segurança do paciente na atenção primária, através de sua influência sobre o esgotamento profissional e o bem-estar de médicos generalistas. DESENHO E AMBIENTE: Estudo transversal realizado no Reino Unido entre março de 2016 e agosto de 2017. MÉTODOS: Um total de 232 médicos que atuam na atenção primária preencheram um questionário online ou em papel que media o esgotamento profissional, o bem-estar, as demandas e o apoio ocupacional e a segurança do paciente. RESULTADOS: Ao todo, 93,8% dos médicos foram classificados como portadores de um distúrbio psiquiátrico leve, 94,7% sofriam de exaustão leve (22,0%) ou grave (72,7%) e 86,8% apresentavam um nível de desligamento leve (37,9%) ou grave (48,9%). Análises de modelagem de equações estruturais mostraram que um maior número de horas gastas em tarefas administrativas e de plantão e a sensação de contar com menor apoio na prática clínica estavam associados a um menor bem-estar, o que, por sua vez, estava associado a uma maior frequência de relatos de near misses nos 3 meses anteriores. Um maior número de horas gastas em tarefas administrativas, um maior número de pacientes atendidos por dia e a sensação de contar com menor apoio estiveram associados a níveis mais elevados de esgotamento profissional, o que, por sua vez, esteve associado a piores percepções de segurança. CONCLUSÃO: Para melhorar a segurança do paciente na atenção primária, é preciso fazer mudanças ao nível individual e ao nível do consultório, a fim de promover um ambiente de trabalho mais saudável para profissionais e pacientes.
 

Resumo Original:

BACKGROUND: GPs have particularly high levels of burnout and poor wellbeing. Although both are associated with poorer safety outcomes within secondary care, there have been no quantitative studies investigating this within primary care. Furthermore, little is known about how occupational demands, burnout and wellbeing, and patient safety are all associated. AIM: To investigate whether occupational variables (demands and support) are associated with patient safety outcomes in general practice through their influence on GP burnout and wellbeing. DESIGN AND SETTING: Cross-sectional survey in the UK between March 2016 and August 2017. METHOD: A total of 232 practising GPs completed an online or paper survey measuring burnout, wellbeing, occupational demands and support, and patient safety. RESULTS: In all, 93.8% of GPs were classed as likely to be suffering from a minor psychiatric disorder, 94.7% as suffering from mild (22.0%) or severe (72.7%) exhaustion, and 86.8% as having mild (37.9%) or severe (48.9%) disengagement. Structural equation modelling (SEM) analyses showed that spending a higher number of hours on administrative tasks and on call, and feeling less supported in their practice, was associated with lower wellbeing, which in turn was associated with a higher likelihood of having reported a near miss in the previous 3 months. A higher number of hours spent on administrative tasks, a higher number of patients seen per day, and feeling less supported were associated with higher burnout levels, which in turn was associated with worse perceptions of safety. CONCLUSION: To improve patient safety within general practice changes could be made at both practice and individual levels to promote a healthier work environment for staff and patients.
 

Fonte:
; 23: 19X702713; 2019. DOI: 10.3399/bjgp19X702713.