Análise temática das perspectivas de mulheres sobre o significado da segurança durante o parto em hospitais

Lyndon, A. ; Malana, J. ; Hedli, L. C. ; Sherman, J. ; Lee, H. C.
Título original:
Thematic Analysis of Women's Perspectives on the Meaning of Safety During Hospital-Based Birth
Resumo:

OBJETIVO: Explorar as experiências de mulheres com o parto para desenvolver uma compreensão de suas perspectivas [PM1] sobre a segurança do paciente durante o parto hospitalar. DESENHO: Descrição qualitativa baseada na análise temática de dados de entrevistas. PARTICIPANTES: Participaram do estudo 17 mulheres com idades entre 29 e 47 anos. MÉTODOS: As mulheres participaram de entrevistas individuais ou em pequenos grupos sobre as suas experiências com o parto, o ambiente físico, as interações com os profissionais e o que a segurança significava para elas no contexto do nascimento. Um grupo interdisciplinar de cinco pesquisadores das áreas de enfermagem, medicina, desenho industrial e jornalismo fez a análise temática das transcrições para examinar como as mulheres vivenciavam a experiência de se sentirem seguras ou inseguras e identificar oportunidades para melhorar o cuidado. RESULTADOS: As participantes vivenciaram os sentimentos de segurança dentro de um contínuo. Esses sentimentos foram afetados pela confiança nos profissionais, por fatores ambientais e organizacionais, pelas interações interpessoais e pelas ações que as pessoas executaram durante os momentos de risco e nas mudanças rápidas ou confusas. Equipes bem-organizadas e interações interpessoais sensíveis, que demonstravam uma conexão humana, promoveram sentimentos de segurança, enquanto alguns aspectos rotineiros do cuidado ameaçaram os sentimentos de segurança. CONCLUSÃO: A segurança física e a emocional são inseparáveis na experiência do paciente, mas essa conexão pode ser negligenciada em alguns ambientes obstétricos hospitalares. Os profissionais de saúde devem estar conscientes da forma como o seu comportamento e o ambiente podem afetar os sentimentos de segurança da mulher durante o parto. A conexão humana é especialmente importante durante os momentos de risco, que representam um espaço liminar na interseção da segurança física e emocional. Pelo menos um membro da equipe deve se concentrar em oferecer apoio emocional durante situações que envolvem mudanças rápidas, para mitigar o potencial de experiências negativas que podem resultar em danos e emocionais.

Resumo Original:

OBJECTIVE: To explore women's birth experiences to develop an understanding of their perspectives on patient safety during hospital-based birth. DESIGN: Qualitative description using thematic analysis of interview data. PARTICIPANTS: Seventeen women ages 29 to 47 years. METHODS: Women participated in individual or small group interviews about their birth experiences, the physical environment, interactions with clinicians, and what safety meant to them in the context of birth. An interdisciplinary group of five investigators from nursing, medicine, product design, and journalism analyzed transcripts thematically to examine how women experienced feeling safe or unsafe and identify opportunities for improvements in care. RESULTS: Participants experienced feelings of safety on a continuum. These feelings were affected by confidence in providers, the environment and organizational factors, interpersonal interactions, and actions people took during risk moments of rapid or confusing change. Well-organized teams and sensitive interpersonal interactions that demonstrated human connection supported feelings of safety, whereas some routine aspects of care threatened feelings of safety. CONCLUSION: Physical and emotional safety are inextricably embedded in the patient experience, yet this connection may be overlooked in some inpatient birth settings. Clinicians should be mindful of how the birth environment and their behaviors in it can affect a woman's feelings of safety during birth. Human connection is especially important during risk moments, which represent a liminal space at the intersection of physical and emotional safety. At least one team member should focus on the provision of emotional support during rapidly changing situations to mitigate the potential for negative experiences that can result in emotional harm.

Fonte:
; 47(3): 324-332; 2018. DOI: 10.1016/j.jogn.2018.02.008.