Análise de interrupções por smartphones em enfermarias de medicina interna de hospitais universitários: as interrupções frequentes podem causar um clima de trabalho semelhante a um "estado de crise"

VAISMAN, A. ; WU, R.C.
Título original:
Analysis of Smartphone Interruptions on Academic General Internal Medicine Wards. Frequent Interruptions May Cause a 'Crisis Mode' Work Climate
Resumo:

Introdução: Cada vez mais, os serviços clínicos hospitalares fornecem pagers e smartphones às equipes para facilitar a comunicação. No entanto, uma consequência inesperada pode ser um maior volume de interrupções com potencial para provocar erros no cuidado de saúde. Provavelmente existe um nível no qual as interrupções são excessivas e causam um clima semelhante a um "estado de crise".

Métodos: Fizemos uma coleta retrospectiva de interrupções causadas por telefonemas, mensagens de texto e e-mails direcionados a smartphones fornecidos pelos hospitais a oito equipes de Medicina Interna Geral (MIG) de dois hospitais terciários de Toronto, no Canadá, de abril de 2013 a setembro de 2014. Também calculamos o número de vezes que essas interrupções excederam um limite pré-especificado por hora, denominado "estado de crise", definido como pelo menos cinco interrupções em 30 minutos. Analisamos a correlação entre as interrupções e a data, o local e o volume de pacientes.

Resultados: Coletamos um total de 187.049 interrupções ao longo de 18 meses. As interrupções nos dias da semana aumentaram de forma acentuada pela manhã, atingindo um pico entre as 11 da manhã e o meio-dia, com uma média de 4,8 e 3,7 interrupções por hora em cada unidade. As interrupções diárias médias por equipe totalizaram 46,2 ± 3,6 na Unidade 1 e 39,2 ± 4,2 na Unidade 2. O limite do "estado de crise" foi excedido, em média, 2,3 vezes por dia por equipe de MIG durante os dias da semana. Em uma análise de regressão linear multivariada, a unidade (β6,43, IC 95% 5,44 a 7,42, p<0,001), o dia da semana (sexta-feira foi o dia com mais interrupções) (β0,481, IC 95% 0,236 a 0,730, p<0,05) e o censo de pacientes (β1,55, IC 95% 1,42 a 1,67, p<0,05) foram todos preditivos do volume diário de interrupções, embora tenha havido um efeito de interação significativo entre a unidade e o censo de pacientes (β-0,941, IC 95% -1,18 a -0,703, p<0,05).

Conclusão: As interrupções estiveram relacionadas a características específicas das unidades, incluindo o volume de pacientes, o que sugere que as intervenções futuras deverão visar a cultura de cada hospital individualmente. As interrupções excessivas podem ter implicações para a segurança do paciente, especialmente quando excedem um limite máximo durante curtos períodos de tempo.

Palavras-chave: Comunicação; tecnologia da informação; interrupções; smartphones.

Resumo Original:

Introduction: Hospital-based medical services are increasingly utilizing team-based pagers and smartphones to streamline communications. However, an unintended consequence may be higher volumes of interruptions potentially leading to medical error. There is likely a level at which interruptions are excessive and cause a 'crisis mode' climate.

Methods: We retrospectively collected phone, text messaging, and email interruptions directed to hospital-assigned smartphones on eight General Internal Medicine (GIM) teams at two tertiary care centres in Toronto, Ontario from April 2013 to September 2014. We also calculated the number of times these interruptions exceeded a pre-specified threshold per hour, termed 'crisis mode', defined as at least five interruptions in 30 minutes. We analyzed the correlation between interruptions and date, site, and patient volumes.

Results: A total of 187,049 interruptions were collected over an 18-month period. Daily weekday interruptions rose sharply in the morning, peaking between 11 AM to 12 PM and measuring 4.8 and 3.7 mean interruptions/hour at each site, respectively. Mean daily interruptions per team totaled 46.2 ± 3.6 at Site 1 and 39.2 ± 4.2 at Site 2. The 'crisis mode' threshold was exceeded, on average, 2.3 times/day per GIM team during weekdays. In a multivariable linear regression analysis, site (β6.43 CI95% 5.44 - 7.42, p.

Conclusion: Interruptions were related to site-specific features, including volume, suggesting that future interventions should target the culture of individual hospitals. Excessive interruptions may have implications for patient safety especially when exceeding a maximal threshold over short periods of time.

Fonte:
Appl Clin Inform ; 8(1): 1-11; 2017. DOI: 10.4338/ACI-2016-08-RA-0130 .
Autor institucional: 
Division of General Internal Medicine, Department of Medicine, University Health Network, Toronto, ON, Canadá