Análise da segurança ao longo do tempo: sete grandes mudanças na investigação de eventos adversos

VINCENT, C. ; CARTHEY, J. ; MACRAE, C. ; AMALBERTI, R.
Título original:
Safety analysis over time: Seven major changes to adverse event investigation
Resumo:

Contexto: Todas as indústrias nas quais a segurança é uma questão crítica dedicam bastante tempo e recursos para investigar e analisar acidentes, incidentes e near misses. A análise sistemática de incidentes melhorou muito a nossa compreensão sobre as causas dos danos e a forma de preveni-los. Estes métodos têm sido amplamente utilizados no cuidado de saúde nos últimos 20 anos, mas agora estão sujeitos a críticas e reavaliações. Neste artigo, reconsideramos o propósito e o valor da análise de incidentes e os métodos apropriados para o cuidado de saúde atual.

Texto principal: A principal razão para rever o nosso entendimento sobre a análise de incidentes é o fato de que o cuidado de saúde está mudando drasticamente. As pessoas vivem por mais tempo, muitas vezes com múltiplas comorbidades que são gerenciadas ao longo de prazos muito extensos. A nossa visão da análise de segurança precisa se expandir concomitantemente para abarcar prazos muito mais longos. Em vez de pensar apenas em termos da prevenção de incidentes específicos, precisamos considerar o equilíbrio entre benefícios, danos e riscos durante longos períodos de tempo, abrangendo os impactos social e psicológico do cuidado de saúde, bem como os efeitos físicos. Defendemos a necessidade de grandes mudanças na nossa abordagem para a análise de eventos de segurança: presumir que os pacientes e suas famílias serão parceiros na investigação e, sempre que possível, envolvê-los plenamente desde o início; examinar períodos de tempo muito mais longos e avaliar os fatores contribuintes em diferentes momentos ao longo do itinerário do paciente; ser mais proporcionais e estratégicos na análise dos problemas de segurança; procurar compreender o êxito terapêutico e a recuperação, bem como as falhas; considerar a viabilidade dos processos clínicos e os desvios em relação a esses processos; e desenvolver uma abordagem muito mais estruturada e abrangente para as recomendações.

Conclusões: Os métodos anteriores de análise de incidentes foram simplesmente adotados e difundidos com pouca pesquisa sobre os conceitos, os métodos, a confiabilidade e os resultados dessas análises. É preciso realizar estudos e investimentos significativos para o desenvolvimento de novos métodos. Estas mudanças são profundas e exigirão grandes ajustes em termos práticos e culturais, além de pesquisas para explorar e avaliar as abordagens mais efetivas.

Resumo Original:

Background: Every safety-critical industry devotes considerable time and resource to investigating and analysing accidents, incidents and near misses. The systematic analysis of incidents has greatly expanded our understanding of both the causes and prevention of harm. These methods have been widely employed in healthcare over the last 20 years but are now subject to critique and reassessment. In this paper, we reconsider the purpose and value of incident analysis and methods appropriate to the healthcare of today.

Main Text: The primary need for a revised vision of incident analysis is that healthcare itself is changing dramatically. People are living longer, often with multiple co-morbidities which are managed over very long timescales. Our vision of safety analysis needs to expand concomitantly to embrace much longer timescales. Rather than think only in terms of the prevention of specific incidents, we need to consider the balance of benefit, harm and risks over long time periods encompassing the social and psychological impact of healthcare as well as physical effects. We argued for major changes in our approach to the analysis of safety events: assume that patients and families will be partners in investigation and where possible engage them fully from the beginning, examine much longer time periods and assess contributory factors at different time points in the patient journey, be more proportionate and strategic in analysing safety issues, seek to understand success and recovery as well as failure, consider the workability of clinical processes as well as deviations from them and develop a much more structured and wide-ranging approach to recommendations.

Conclusions: Previous methods of incident analysis were simply adopted and disseminated with little research into the concepts, methods, reliability and outcomes of such analyses. There is a need for significant research and investment in the development of new methods. These changes are profound and will require major adjustments in both practical and cultural terms and research to explore and evaluate the most effective approaches.

Fonte:
Implement Sci ; 12(1): 151; 2017. DOI: 10.1186/s13012-017-0695-4.