Alta hospitalar — um estudo nacional sobre a transição para o cuidado ambulatorial

Ahsberg, E.
Título original:
Discharge from hospital - a national survey of transition to out-patient care
Resumo:

INTRODUÇÃO: Embora seja observada uma redução geral no tempo de internação em hospitais suecos, tem havido um retardo crescente da alta entre pacientes que precisam de cuidados de longa duração. OBJETIVO: Identificar desafios e oportunidades na transição de pacientes entre o ambiente hospitalar e o cuidado ambulatorial. MÉTODOS: Obtivemos dados através de registros nacionais de pacientes que receberam alta hospitalar em 2014, entrevistas com autoridades de saúde pública e uma revisão sistemática da literatura. RESULTADOS: Ao todo, 1.121.823 pessoas receberam alta de hospitais suecos em 2014. Destas, 334.420 (30%) ainda precisavam de cuidados ambulatoriais, enquanto 221.221 (20%) precisavam de serviços sociais. Entre os pacientes que receberam alta, 53.763 (5%) precisavam tanto de cuidado ambulatorial como de serviços sociais. Neste grupo de pessoas fragilizadas (principalmente mulheres com 80 anos ou mais), 25.760 (48%) foram reinternadas até 30 dias após a alta. Os principais desafios observados na transição foram os seguintes: número decrescente de leitos em hospitais e instituições de longa permanência, falta de profissionais com educação adequada e problemas no intercâmbio de informações entre os prestadores de cuidados. Para resolver estes problemas, os participantes descreveram algumas novas abordagens: atenção domiciliar inicial mais intensa após a alta, cuidado ambulatorial organizado tanto pelos municípios como pelos conselhos distritais, acompanhamento local dos dados dos pacientes e ênfase na colaboração entre os cuidadores. A literatura encontrou resultados ambíguos sobre os efeitos de intervenções isoladas no momento da alta hospitalar. No entanto, as evidências sugerem que o número de reinternações pode ser reduzido pela combinação de diversas intervenções antes da alta (planejamento individualizado, avaliação geriátrica e educação do paciente) seguidas do acompanhamento após a alta. CONCLUSÃO: Como muitos pacientes fragilizados são reinternados até 30 dias após a alta hospitalar, o cuidado ambulatorial sueco pode precisar de novos métodos de trabalho para promover um cuidado coerente. Além disso, intervenções multifacetadas no momento da alta hospitalar, incluindo o acompanhamento após a alta, podem evitar as reinternações indesejadas.

Resumo Original:

INTRODUCTION: Despite a generally decreased length of stay in Swedish hospitals, an increasing delay of discharge has been observed among patients with long-term care need. AIM: Identify challenges and opportunities in the transition of patients between hospitals and out-patient care. METHOD: Data were obtained from national registers on patients discharged from hospitals in 2014, interviews with public care authorities, and a systematic literature review. RESULTS: A total of 1 121 823 persons were discharged from Swedish hospitals in 2014. Of all discharged patients, 334 420 (30%) was in need of further out-patient medical care while 221 221 (20%) needed social services. Among these discharged patients, 53 763 (5%) needed both medical care and social services. In this group of frail persons (primarily females 80 years or older), 25 760 (48%) were readmitted to hospital within 30 days from the discharge. Main reported challenges in the transition were as follows: a decreasing number of beds in hospitals and nursing homes, lack of staff with proper education, and problems in transfer of information between caregivers. To solve these problems, respondents reported some new approaches: extensive initial home services after discharge, out-patient care organised by both municipalities and county councils, local follow-up of patient data as well as an emphasis on collaboration between caregivers. The literature reported ambiguous results about effects of single interventions at discharge. However, evidence suggests that the number of readmissions to hospital may be reduced by combining several interventions before discharge (individual planning, geriatric assessment, and patient education) with follow-up after discharge. CONCLUSION: Since many frail patients are readmitted to hospital within 30 days after discharge, Swedish out-patient care may need new working methods in order to promote a coherent care. Further, multi-component interventions at discharge, including follow-up after discharge, may prevent unintended readmissions.

Fonte:
; 2019. DOI: 10.1111/scs.12625.