Acreditação em saúde como um fator desencadeador de mudanças organizacionais: a perspectiva dos profissionais

Título original:
Healthcare accreditation as trigger of organisational change: The view of professionals
Resumo:

CONTEXTO: A acreditação em saúde visa promover mudanças organizacionais nas instituições de saúde usando uma abordagem que avalia o nível de progresso alcançado com base em um referencial conceitual validado. O objetivo deste artigo é analisar o papel desempenhado pela acreditação com base nas perspectivas dos profissionais de saúde durante o processo de autoavaliação e avaliação externa, levando em consideração três dimensões de análise: o foco no paciente, a organização e a liderança internas e o impacto sobre os aspectos clínicos do cuidado de saúde. MATERIAIS E MÉTODOS: Este estudo utilizou entrevistas semiestruturadas com informantes-chave das unidades de gestão clínica (UGCs) do Sistema de Saúde da Andaluzia (Espanha). PARTICIPANTES: Os informantes de cada UGC foram o líder clínico, o chefe de enfermagem e dois profissionais da saúde (médicos e enfermeiros). Utilizamos um protocolo de pesquisa qualitativa para realizar as entrevistas semiestruturadas (n=52 entrevistas) com médicos e enfermeiros, a fim de analisar as suas experiências com o processo de acreditação. RESULTADOS: A análise identificou quatro resultados principais relacionados ao processo de acreditação, segundo a percepção dos profissionais: (1) uma conceituação padronizada do processo, (2) melhorias no cuidado centrado no paciente, na qualidade dos prontuários e na cultura organizacional das unidades, (3) melhorias na cultura de segurança do paciente e (4) como desfechos negativos, uma ligeira percepção de burocratização e padronização da prática clínica. CONCLUSÕES: A iniciativa descrita para o processo de acreditação na Andaluzia (Espanha) é amplamente percebida como positiva pelos profissionais da saúde, por promover a mudança organizacional, embora também tenha um efeito ligeiramente negativo de burocratização da prática clínica.

Resumo Original:

BACKGROUND: Healthcare accreditation seeks to promote the organisational change in healthcare organisations from an approach that values the level of progress achieved through a validated reference framework. The aim of this paper is to analyse the role played by accreditation through the experience perceived by health professionals during the process of self-assessment and external evaluation, taking into account three dimensions of analysis: focus on the patient, internal organisation and leadership, and impact on the clinical aspects of healthcare. MATERIAL AND METHODS: Design: Semi-structured interviews with key informants from clinical management units (CMU) within the Andalusian Health System (Spain). PARTICIPANTS: The key informants in each CMU were the clinical leader, the head of nursing and two health professionals (doctors and nurses). A qualitative research protocol was employed to conduct the semi-structured interviews (n=52 interviews) with physicians and nurses, in order to analyse their experience with the accreditation process. RESULTS: The analysis identified four main outcomes related to the accreditation process perceived by professionals: (1) A benchmarking conceptualisation of the process; (2) Improvements in patient-centred care, quality of clinical records, and organisational culture of the units; (3) Improvement of patient safety culture; (4) As negative outcomes, a slight perception of bureaucratisation and standardisation of the clinical practice. CONCLUSIONS: The described initiative of accreditation process in Andalusia (Spain) is widely perceived as positive by health professionals since it fosters the organisational change, although it also has a slightly negative bureaucratisation effect on clinical practice.

Fonte:
; 34: 59-65; 2019. DOI: doi.org/10.1016/j.jhqr.2018.09.007.