É necessário fazer um esforço para substituir a cultura punitiva em favor da segurança do paciente?

GUTIÉRREZ UBEDA, S. R.
Título original:
Is an effort needed in order to replace the punitive culture for the sake of patient safety?
Resumo:

Iniciativas para introduzir uma cultura de segurança têm florescido em um número cada vez maior de organizações de saúde.No entanto, muitas destas iniciativas organizacionais têm sido incompletas, pois não abordam adequadamente a resistência às mudanças gerada pela cultura punitiva que predomina nas organizações de saúde.Este artigo visa aumentar a conscientização sobre três razões pelas quais é necessário fazer um esforço para modificar a cultura punitiva antes de introduzir a cultura de segurança do paciente.A primeira razão é que a cultura precisa ser investigada e compreendida.A segunda é que a cultura é um construto complexo, profundamente enraizado nas organizações e em seus contextos, sendo, portanto, difícil de modificar.A terceira razão é que a cultura punitiva não é compatível com alguns componentes da cultura de segurança; portanto, se não for removida, é muito provável que se mantenha ativa e dominante sobre a cultura de segurança.Estas razões sugerem que, se não forem planejadas e executadas intervenções efetivas para substituir a cultura punitiva pela cultura de segurança, existe o risco de que a cultura punitiva continue a prevalecer.

Palavras-Chave: cultura de segurança; cultura organizacional; segurança do paciente; punição

Resumo Original:

Efforts to introduce a safety culture have flourished in a growing number of health care organisations. However, many of these organisational efforts have been incomplete with respect to the manner on how to address the resistance to change offered by the prevailing punitive culture of healthcare organisations. The present article is intended to increase the awareness on three reasons of why an effort is needed to change the punitive culture before introducing the patient safety culture. The first reason is that the culture needs to be investigated and understood. The second reason is that culture is a complex construct, deeply embedded in organisations and their contexts, and thus difficult to change. The third reason is that punitive culture is not compatible with some components of safety culture, thus without removing it there are great possibilities that it would continue to be active and dominant over safety culture. These reasons suggest that, unless planning and executing effective interventions towards replacing punitive culture with safety culture, there is the risk that punitive culture would still prevail.

Keywords: Cultura de seguridad; Cultura organizacional; Organisational culture; Patient safety; Punishment; Safety culture; Sanción; Seguridad del paciente

Fonte:
Rev Calid Asist ; 31(3): 173-176; 2016. DOI: 10.1016/j.cali.2015.09.007.